AEViVer ajuda empresários na revitalização da economia local

A Associação Empresarial de Vila Verde (AEViVer) realizou, ontem, na Vila de Prado uma jornada junto do comércio local que culminou com a realização da Assembleia Geral, decorrida no sobrelotado auditório da Junta de Freguesia. Foi, de acordo com os responsáveis da associação, "uma jornada extremamente profíqua, não só para fomentar contactos e relações de intercomunicação com os empresários locais sobre a realidade económica local, mas sobretudo para estabelecer pontes de colaboração para a cooperação no encontro de soluções e alternativas que ajudem a superar dificuldades e abrir novas portas de dinamização empresarial".

Perante mais de uma centena de empresários que quis marcar presença na Assembleia Geral, o presidente da direção da AEViVer, José Morais, começou por apresentar o relatório de contas de 2012, sublinhando o facto de a associação "prosseguir uma intensa atividade e um vasto programa de ações de apoio às empresas e dinamização do tecido empresarial do concelho, conseguindo fechar o ano com as contas todas pagas e sem recurso a quaisquer dinheiros públicos".

Do vasto conjunto de atividades que foram realizadas ao longo do ano, José Morais destacou a formação para empresários na área de gestão e administrativa. O elenco de atividades incluiu a assinatura de protocolos com associações empresariais internacionais e a realização de reuniões de trabalho com embaixadas e autarquias locais. O líder da AEViVer realçou o protocolo com a Associação Industrial de Moçambique (AIMO-FI) para apoio à instalação de empresas, o que "reforçou a capacidade de intervenção da associação vilaverdense no campo internacional".

A realização de campanhas de promoção e valorização do comércio local, a formalização de candidaturas a fundos nacionais e europeus, bem como a divulgação de programas comunitários de estímulo à criação de emprego e a formação ao nível das alterações no código de trabalho e regras de faturação, mereceram também nota de destaque na intervenção de José Morais.

O presidente da Junta da Vila de Prado, Paulo Gomes, interveio depois para apresentar programas comunitários para Micro e Pequenas e Médias Empresas, uma porta que os empresários podem utilizar para alavancar os seus negócios. O autarca local defendeu as oportunidades de apoio ao investimento disponíveis através dos programas Compete e Vale Empreendedorismo, direcionados para as PME's.

Por seu turno, os economistas Vítor Andrade e Nuno Sousa, do BPI, apresentaram as ofertas bancárias para empreendedorismo, comércio, agricultura e exportação, com spreads de 0 a 1,5%. Lançaram o repto para os empresários recuperarem a disponibilidade para consultarem a instituição bancária sobre apoios existentes para as empresas.

A finalizar, foi a vez dos empresários vilaverdenses Manuel Fernandes e João Cruzeiro - sócios de investimentos já implantados em território estrangeiro, nomeadamente em Moçambique - apresentarem estratégias para as empresas se implementarem em Moçambique, bem como estabelecer parcerias e oportunidades de negócio naquele país lusófono.


Visita ao comércio local angaria mais 55 sócios


Durante a tarde, o presidente e o vice-presidente da AEViVer, José Morais e Jorge Pereira, respetivamente, foram acompanhados pelo presidente da Junta da Vila de Prado, Paulo Gomes, e pelo comerciante local Manuel Gonçalves, num périplo de visitas a vários estabelecimentos comerciais ouvindo preocupações e opiniões de quem no terreno, se debate, todos os dias, com novos desafios.

O périplo terminou na  «Tipoprado», uma empresa de referência do concelho e em franca expansão comercial que originou, inclusive, a criação de novos postos de trabalho. Com esta visita, a direção da AEViVer angariou mais 55 sócios a juntar às cerca de quatro centenas que já fazem parte das fileiras da Associação.